Malware para smartphone chega às Smart TVs com sistema Android; previna-se

Tempo de leitura: 2 minutos

Pesquisadores da Trend Micro, empresa de segurança de conteúdo para a Internet, descobriram uma atualização do malware Frantic Locker (FLocker) capaz de atingir Smart TVs com sistema operacional Android TV. O programa malicioso bloqueia a tela do aparelho, exibe uma notícia falsa e exige pagamento do usuário.

Android TV, webOS ou Tizen: veja diferenças entre sistemas das Smart TVs

Por enquanto, no Brasil, apenas os televisores da Sony e da Philips usam o sistema do Google. Até então, a ação do malware se limitava apenas aos smartphones, atacando através de SMS de spams ou acesso a links maliciosos. No entanto, a facilidade existente no uso de multiplataformas pode ter facilitado a chegada do software aos aparelhos.

Android TV é restrito a televisores da Sony e da Philips no Brasil (Foto: Divulgação/Sony) (Foto: Android TV é restrito a televisores da Sony e da Philips no Brasil (Foto: Divulgação/Sony))Android TV é restrito aos televisores da Sony e da Philips no Brasil (Foto: Divulgação/Sony)

Ao infectar uma TV, a mais nova versão do FLocker bloqueia a tela com uma notícia falsa de um órgão oficial, como o site do Ministério da Justiça, acusando o dono do aparelho de um crime que não cometeu. Em seguida, exige o pagamento no valor de US$ 200,00 (cerca de R$ 697,00) em cartões de presentes doiTunes.

O ransomware, programa malicioso que ameaça o usuário para obter dinheiro ou dados, demora cerca de 30 minutos para agir. Após esse período, solicita privilégios de administração do aparelho. Se o usuário rejeitar o pedido, o malware exibe uma tela de atualização de sistema falsa.

Android OS TV 2 copy copyFLocker tem mais de 7 mil variações desde que foi descoberto em 2015 (Foto: Divulgação/TrendMicro)

De acordo com a Trend Micro, o FLocker roda em segundo plano, tira fotos do usuário e as exibe na página de pedido de resgate. Enquanto a tela da TV está bloqueada, o programa coleta dados do aparelho, como número do telefone, contatos, localização e tempo real. As informações são encriptadas com uma chave AES e decodificadas com ajuda do método Base64.

Ainda segundo a empresa de segurança, a melhor solução para esse tipo de problema é a prevenção, utilizando os antivírus disponíveis para a plataforma.

Via Trend Micro

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>